Diário da Serra

Vacina Solidária - Projeto da Prefeitura arrecadou mais de 700 quilos de alimentos em Tangará da Serra

Alexandre Rolim / Assessoria de Comunicação 12/04/2021 Geral

Foram arrecadados alimentos como arroz, feijão, açúcar, leite, café, macarrão, extrato de tomate, dentre outros

Geral

O projeto Vacina Solidária, desenvolvido pela Prefeitura Municipal, por meio das secretarias de Assistência Social e Saúde, e pelo Gabinete de Políticas Públicas para Mulheres (GPM), arrecadou mais de 700 quilos de alimentos não-perecíveis no último sábado, em Tangará da Serra.


A arrecadação ocorreu durante drive-thru para aplicação de vacina contra a Covid-19, no estacionamento da empresa Havan, quando 2.598 idosos acima de 65 anos foram imunizados na cidade.


A secretária municipal de Assistência Social, Ana Lúcia Adorno, agradeceu a população tangaraense que mais uma se solidarizou e atendeu o chamado da Prefeitura, doando alimentos de maneira voluntária. “Foi maravilhoso ver que a população mais uma vez mostrou solidariedade. Arrecadamos mais de 700 quilos de alimentos em um gesto de amor ao próximo e preocupação dos nossos moradores com as pessoas que estão passando por dificuldade”, disse a secretária.


Para a primeira-dama, Silvana Ló Masson, coordenadora do GPM, o sentimento é de gratidão. “Decidimos fazer essa campanha com o propósito de ajudar aqueles que estão precisando de acolhimento nesse momento de pandemia e a população de Tangará, sempre solidária, amorosa e preocupada com o próximo abraçou o projeto e contribuiu”, destacou.
 

Foram arrecadados alimentos como arroz, feijão, açúcar, leite, café, macarrão, extrato de tomate, dentre outros.
 

O projeto
 

O Vacina Solidária, projeto desenvolvido pelo Município nos moldes de outras campanhas existentes no país, tem como objetivo ajudar famílias em situação de vulnerabilidade nesse momento de crise causada pela pandemia da COVID-19.
 

A própria prefeitura, através da Secretaria de Assistência Social, fica responsável pela distribuição dos produtos alimentícios arrecadados através dos Centros de Referência em Assistência Social (CRAS) dos bairros, que possui cadastro de famílias em situação vulnerável.

Notícias da editoria