Diário da Serra

Prefeito anuncia que Escola Agrícola poderá se tornar Cívico Militar em Tangará

Diego Soares – Assessoria de Imprensa 06/01/2020 Educação

Fábio Junqueira revelou que ofereceu a estrutura da Escola Agrícola à Coordenação de Escolas Cívico Militares de Mato Grosso, para implantar uma unidade em Tangará da Serra

Educação

Após uma onda de boatos relacionados à Escola Agrícola Ulisses Guimarães de Tangará da Serra, o Prefeito Fábio Martins Junqueira informou que o que ocorre de fato é que a unidade não será fechada, mas sim passará a atender exclusivamente matrículas de quem mora na região.
 

“Hoje o que acontece é que tem ônibus trazendo alunos de lá para estudar aqui na cidade e vai ônibus levando alunos daqui para lá. O número de alunos muito pequeno e muitos professores. São 68 alunos para 15 professores. A média aluno/profissional da educação é baixíssima, com avaliação baixa e ainda com transporte muito oneroso, pois são diversos ônibus andando pingado pela cidade inteira para levar 60 alunos para lá”, explicou.
 

Junqueira enfatizou que a média aluno/professor e inferior a cinco estudantes por profissional.

 

“Querem manter a Escola com alunos transportados de fora e numa média de cinco alunos por professor, apenas para manter em funcionamento. A estrutura da Escola Agrícola, da parte profissionalizante foi repassada para a Secretaria Municipal de Agricultura, que desenvolve atividades de apoio a Agricultura Familiar. Temos lá, através da SEAPA, o Programa Mais Leite, criação de porcos, galinhas, carneiros”, salientou o Prefeito.
 

O Gestor pontuou ainda que por uma questão de legislação, há anos a parte profissionalizante da Escola Agrícola foi desativada.

 

“Os alunos não podem trabalhar como ocorria anteriormente. É uma questão de legislação. Lei se cumpre. Apenas a SEAPA é que mantém a Unidade Experimental, onde desenvolvemos dias de campo, treinamentos, entre outras tantas atividades”, completou.
 

O Prefeito informa ainda que o Município disponibiliza atualmente motoristas de cerca de cinco ônibus que fazem linhas para levar os alunos para lá e depois buscar. “Todos os professores efetivos serão mantidos em outras escolas. O transporte escolar continuará existindo de lá para cá. Se tiver matrículas de séries iniciais e educação infantil de lá, serão mantidas as turmas para os alunos de lá”, pontua.

 

Sobre a utilização da Escola Agrícola para outras ações educacionais, Junqueira revela que já foi oferecida parceria para o Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT) com o objetivo de desenvolver curso técnico agrícola, porém, a parceria não aconteceu. Outras duas tentativas ocorreram e também não deram certo, com a SECITEC e com a UNEMAT.

 

ESCOLA MILITAR – Fábio Junqueira revelou que ofereceu a estrutura da Escola Agrícola à Coordenação de Escolas Cívico Militares de Mato Grosso, para implantar uma unidade em Tangará da Serra.

 

“Com eles tivemos retorno, porém, nos informaram que pelo Estado, somente a partir de 2021. Ofereci ainda para ser mantida pelo próprio Município e eles nos cederiam apenas o Militar para ser o Diretor e o Município manteria, mas ainda não me deram resposta”, explicou.
 

O Prefeito salienta que foi dada oportunidade para a Escola e a comunidade se unirem para fortalecer a unidade.

 

“Foi até mesmo alterada para atenção integral e ao invés de valorizarem e aumentar o número de alunos ou pelo menos manter, reduziu pela metade”, lamentou.

Notícias da editoria